Selos de eficiência energética

Autor: 
Zolton Cohen

No início deste século, os consumidores brasileiros começaram a se preocupar com o fantasma do apagão energético. As chuvas mais escassas e a falta de investimentos no setor energético acabaram forçando o racionamento de energia nas casas brasileiras. O governo acabou, então, despertando para o problema. São de 2001, o decreto 4059 e a lei 10.295 que prevêm um programa de regulagem do consumo de energia nos aparelhos de consumo doméstico.

Instituto de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) criou os selos de eficiência energética, que devem estar colados em todos os eletrodomésticos novos à venda. São dois selos: o Procel, para medir a eficiência energético dos aparelhos movidos a eletricidade, e o Conpet, para medir a eficiência energética dos aparelhos movidos a gás. O nome Procel vem de Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica, organizado pela Eletrobras, desde 1993, mas que começou a ter mais importância para o consumidor depois do apagão. O Conpet vem de Programa Nacional de Racionalização do Uso dos Derivados do Petróleo e do Gás Natural, organizado pela Petrobras e surgiu em 2005.

Conheça o selo Procel para escolher melhor seus novos eletro-domésticos e saber quanto você vai acabar gastando.


Inmetro/HowStuffWorks 2007

Para saber quanto você vai gastar, pegue a previsão de gasto mensal que está em KWh e multiplique pelo valor do KWh da sua concessionária de energia. No Brasil, em julho de 2007, o preço do KWh variava de R$ 0,20841 a R$ 0,43364. Consulte a tabela de tarifas residenciais de cada concessionária disponibilizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica.