Como funciona o imposto de renda

Autor: 
Celso Monteiro
imposto de renda

Todo mês é a mesma coisa: é receber o holerite para lembrar que você não vê nem a cor de boa parte do seu salário. São os impostos e outros gastos fixos. E uma das grandes mordidas é a do leão do imposto de renda.

E não pensem que os profissionais liberais e autônomos, que não têm carteira de trabalho assinada, estão isentos desse mal, ou melhor, dessa obrigação.

A tributação do imposto de renda não é feita na fonte, mas, no final das contas, ele será cobrado. Não tem escapatória - o imposto de renda incide sobre quase todas as pessoas que têm algum tipo de rendimento, deixando de fora as que ganham menos que o piso de cobrança, de pouco menos de R$ 1.500 por mês. E a fiscalização não é brincadeira.

Novas alíquotas em 2009

Graças a crise mundial, a partir de 2009, as alíquotas do imposto de renda mudam no Brasil.

O que, na prática, quer dizer menos impostos. Veja mais, clicando nessa página do artigo.

Por menos que as pessoas gostem do leão, ele não é um animal descontrolado. Existem princípios que regem sua atuação, como, por exemplo, o princípio da progressividade, que determina um aumento da alíquota de imposto à medida que o rendimento aumenta.

Este artigo explica tudo sobre o principal imposto federal do país - e mostra como declarar, quanto pagar e quando há restituição.

 

imposto de renda, ir, imposto renda
©2008 HowStuffWorks

Também foram criadas novas regras para limitar as declarações no papel, que em 2007 corresponderam a apenas 2% do total de declarações. Ficam impedidas de usar esse meio de declaração pessoas que recebem rendimentos tributáveis de pessoas físicas ou do exterior, quem inclui dependentes que tenham tido alguma renda do ano anterior, quem tenha tido participação acionária em qualquer empresa ou que queiram abater a contribuição ao INSS dos empregados domésticos.

Novas regras desde 2008

A Receita Federal lançou novas regras para a declaração do Imposto de Renda a partir de 2008. A principal novidade é que passou a ser obrigatório informar o número da declaração do ano anterior. Outra novidade é que os rendimentos que forem recebidos de pessoas físicas devem ser informados mensalmente. Além disso, mudaram os valores de descontos para quem faz declaração anual completa.