O uso de palavrões e xingamentos no trabalho é aconselhável?

Autor: 
Josh Clark

Seu escritório é um lugar bastante civilizado. Seus colegas de trabalho pedem desculpas entre si regularmente e andam depressa quando se cruzam no corredor. Sensível, mesmo elegante, roupas da Ann Taylor e Calvin Klein são a norma, parece que a qualquer momento alguém irá aparecer servindo chá e sanduíches de pepino em conserva. O escritório moderno é um lugar extremamente cortês, especialmente em grandes corporações. Entretanto, ocasionalmente, surge uma situação onde mesmo o empregado mais bem educado sente a necessidade de romper o silêncio cavalheiresco com um palavrão realmente sujo.

Mas os funcionários devem se sentir livres para ir em frente e botar pra quebrar, é o que afirma um novo estudo de pesquisadores da University of East Anglia, na Grã Bretanha (em inglês).

Existem algumas situações em que usar palavras de baixo calão no trabalho é inadequado, como xingar um árbitro esportivo exageradamente. O resultado será sua expulsão do jogo
Foto cedida por Carl De Souza/AFP/Getty Images
Existem algumas situações em que usar palavrões e xingamentos no trabalho é impróprio, como xingar um árbitro esportivo exageradamente. O resultado será sua expulsão do jogo.

O estudo analisou tanto a pertinência quanto os efeitos de se xingar no local de trabalho. Os pesquisadores Yehuda Baruch e Stuart Jenkins descobriram que usar palavrões e xingamentos pode ser mais benéfico do que gostaria um diretor de Recursos Humanos. Baruch e Jenkins passaram um tempo freqüentando um armazém de vendas por correspondência e observaram o efeito que as palavras sujas têm no ambiente de trabalho. Eles descobriram que, quando usado de modo não abusivo, dizer palavras sujas incrementa o desenvolvimento das relações pessoais entre os funcionários. Afinal, se um funcionário utiliza linguagem de baixo calão no seu dia-a-dia fora do trabalho, então isto representa parte da sua personalidade. A ausência desse aspecto pessoal poderia se tornar uma barreira constrangedora entre empregados, impedindo-os de se conhecerem melhor.

Baruch e Jenkins descobriram que o uso de palavrões e xingamentos também pode funcionar como um liberador de estresse (em inglês) entre os funcionários. Em vez de se manter retraído, poderia ser mais saudável para um funcionário xingar, liberando assim sua frustração e permitindo uma mudança. Eles descobriram que usar palavrões e xingamentos também pode servir como um meio para que os funcionários se tornem um grupo coeso. Foi observado também o predomínio da troca de palavrões entre as mulheres, especialmente quando elas estão reunidas.

Os pesquisadores descobriram que o uso de palavrões e xingamentos é mais comum entre funcionários que estão na base da hierarquia e que aqueles em posições executivas e de gerência são menos propensos ao uso de tal linguagem no local de trabalho. Porém, Baruch conta que, embora um gerente não possa usar tais termos, o pesquisador espera que o estudo ajude no sentido de permitir o uso de palavrões e xingamentos no local de trabalho [fonte: University of East Anglia]. Isso representa uma mudança radical da filosofia do ambiente de trabalho no que se refere ao uso de palavrões e xingamentos, o que tem sido tradicionalmente desaconselhado - ou mesmo terminantemente proibido.

Os pesquisadores consideram seus estudos como um desafio para as habilidades de liderança dos gerentes. Embora Baruch e Jenkins tenham visto que o uso de palavras de palavrões e xingamentos melhorou o estado de espírito dos funcionários, houve situações definidas onde a linguagem chula não era apropriada no ambiente de trabalho. Os pesquisadores revelaram que o uso de palavrões e xingamentos com clientes ou gerentes de alto-escalão são dois exemplos de uso contraproducente de palavrões.

Pode ser bem chato ver um colega de trabalho fazer uso de palavrões quando ele não está atento à presença de um cliente. É até mesmo mais doloroso quando um colega de trabalho não parece entender os limites, aparentemente naturais, que cercam o uso de palavrões em situações sociais. Existem algumas situações simples - como aquelas onde clientes e executivos estão presentes - em que o uso de palavrões e xingamentos é inapropriado. Mais do que aliviar o estresse, usar palavrões nestas situações parece impregnar o ar de tensão.

Mas como sabermos em quais situações cabe usar palavrões e xingamentos e em quais é proibido? Certamente a prescrição de regras pode nos fornecer os limites, mas nós humanos temos à princípio um sentido interno que nos guia nestas situações. Leia a próxima página para descobrir as possibilidades da intuição.